bitcoin é seguro, segurança do bitcoin

Bitcoin é Seguro? Veja como funciona a segurança da moeda

27 de novembro de 2017 Escrito por Bitcoin, Blockchain, Reportagens, Segurança, Tecnologia 0 comentarios em “Bitcoin é Seguro? Veja como funciona a segurança da moeda”
Conheça o Quantum!

Bitcoin é seguro? Eis uma das maiores preocupações quando o assunto são criptomoedas. Quem está entrando nesse mercado tende a desconfiar da capacidade do bitcoin de preservar os fundos investidos. Afinal, como podemos confiar em um ativo que não existe, no qual não podemos pegar ou ver? Especialmente para as gerações mais velhas, a ideia de um dinheiro que existe apenas digitalmente desperta uma série de dúvidas: quem garante que é Bitcoin é seguro ao estar guardado em uma carteira? Quem garante o funcionamento da rede? Como posso saber se a minha carteira não será hackeada? E, para surpresa de muitas pessoas que possuem essas dúvidas, o bitcoin é seguro sim. De fato, um dos ativos mais seguros do mundo.

Bitcoin é Seguro via poder computacional

Para começar a explicar como o Bitcoin é seguro, precisamos estudar a rede que sustenta a moeda: a Blockchain. Como já explicado em vários artigos, a Blockchain é uma rede de registro de transações que funciona de forma descentralizada e autônoma. Trata-se de uma rede fortemente segura, transparente, que fornece privacidade e é praticamente impossível de ser violada. Isso porque, uma vez que cada transação bitcoin é enviada e registrada em um bloco da rede, imediatamente ela começa a ser auditada pelos milhares de nós e mineradores que possibilitam a fiscalização das transações da Blockchain.

Caso um usuário tente burlar as regras e realizar transações indevidas (como gastar duas vezes o mesmo bitcoin), a rede irá rejeitar automaticamente uma das transações como sendo inválida, descartando a transação dupla. Se um usuário tenta usar seu poder computacional para fraudar ou se apropriar da rede, ele automaticamente passa a “combater” contra todos os demais participantes, os quais irão, também, usar o poder de seus computadores para manter a Blockchain confiável e funcionando. É como se um soldado tentasse lutar sozinho, armado apenas com um fuzil, contra um exército inimigo inteiro, o qual também possui fuzis de igual ou maior poder de fogo. Não é necessário explicar quem sairia vencedor.

É por essa mesma razão que também é virtualmente impossível modificar qualquer transação já confirmada dentro da Blockchain. Para que isso ocorra, o usuário que deseja fraudar precisa reverter não só a transação desejada, mas também todas as transações a partir dela, criando, na prática, uma nova rede – e fazer isso enquanto o restante da rede continua validando a cadeia original, deixando o impostor isolado. Para que um só usuário controle a rede inteira, ele necessitaria reunir um poder computacional que superasse 51% do poder total da rede. Embora seja possível, é inviável. A Blockchain hoje reúne mais capacidade de processamento do que o Google inteiro. Obter tal poder representaria um custo muito alto, apenas para poder modificar algumas poucas transações. A rede do Blockchain, portanto, não apenas torna o Bitcoin seguro, mas também estimula o comportamento honesto.

Segurança de armazenamento

Ok, já entendemos o quanto a Blockchain é segura. Mas e quanto ao armazenamento de bitcoins? Como escolher a melhor carteira? O bitcoin foi criado como uma forma de que os usuários possam armazenar seu dinheiro por conta própria, sem a dependência de um terceiro de confiança (como bancos, por exemplo). Para esse armazenamento ser feito, existem as carteiras.

Boas carteiras são aquelas nas quais o dono dos bitcoins possui o controle da chave privada. Esta funciona como uma senha, através da qual é possível sacar os fundos. Sem a chave privada, o usuário perde totalmente acesso aos bitcoins, pois não é possível recuperá-la ou criar uma nova. Carteiras assim são chamadas comumente de cold wallets. São carteiras cujo acesso pode ser feito sem nenhuma conexão de internet, pois as mesmas armazenam suas chaves de forma offline, sendo, portanto, protegidas contra hackers. As principais carteiras do tipo são:

  • Hardware wallets: são carteiras físicas, que podem ser acessadas via computador e usadas para saques e depósitos de bitcoins. Possuem a praticidade como vantagem e são extremamente seguras. Ex: Trezor e Ledger;
  • Paper wallets: são carteiras que podem ser criadas em um simples pedaço de papel. As chaves pública e privada são geradas pelo próprio usuário de forma totalmente offline, e a carteira, por ser de papel, não é conectada a nenhum computador. Porém, são pouco práticas para uso, já que os fundos só podem ser sacados uma vez.

Existem também as carteiras online, ou hot wallets, que podem ser levadas no computador ou até em aplicativos de celular. Elas possuem a vantagem de poder ser usadas no dia a dia, fornecendo mais praticidade para o uso dos bitcoins. No entanto, elas tem um alto risco: mantém a chave privada fora do controle do usuário, geralmente armazenada nos servidores das empresas responsáveis pela manutenção. Portanto, se tais servidores forem atacados por hackers, o usuário pode perder os seus fundos.

Além das carteiras – Investimentos com a moeda

Muitas pessoas deixam bitcoins guardados nas corretoras de Bitcoin onde compram a moeda, geralmente pela praticidade em fazer operações de trade financeiro – operações de compra e venda visando o lucro com a volatilidade dos preços da moeda – ou para operações de arbitragem financeira automatizada, como é o caso da plataforma Quantum, que lucra com o diferente preço do Bitcoin de uma corretora para a outra.

No caso de quem investimentos em arbitragem ou trade financeiro,  a vantagem é a possibilidade de um lucro maior do que somente deixar o dinheiro parado em uma carteira. Por outro lado, faz com que o dinheiro fique na custódia de um terceiro. Por isso, a lição para os novatos é de tomar cuidado com as empresas envolvidas, e se certificar de que sempre sejam corretoras confiáveis e com boas referências no mercado.

Conclusão

Tomados os devidos cuidados, o bitcoin é sim um ativo extremamente seguro e confiável. As transações em Blockchain são praticamente imunes a violações, a moeda é livre da ação de governos e, sendo custodiada pelo próprio usuário, impossível de ser confiscada ou tributada.

Em termos de carteiras, cold wallets são boas opções, especialmente para quem compra e guarda pensando no longo prazo. Manter seus bitcoins seguros fora da internet e usar a chave privada apenas quando realmente for gastá-los, e sempre em um servidor confiável.

Caso o usuário decida investir seus bitcoins, seja por meio de estratégias de trading financeiro ou investimento em arbitragem automatizada, é necessário o devido cuidado com as empresas envolvidas nas quais o dinheiro estará em custódia.

Com tais medidas, seu investimento não só estará sempre protegido, mas também irá crescer e gerar mais dinheiro.

Gostou desse post? Siga nossas redes sociais:
Conheça o Quantum!

Busca

Gostou? Segue aí!

Facebook
Twitter
LinkedIn
Follow by Email
Google+
https://atlasproj.com/blog/bitcoin-e-seguro/">
logo_rodape

ENTRE EM CONTATO

Copyright 2017 Atlas Project. All rights reserved.