IOTA, Miota, altcoin, cripto, bitcoin

IOTA: Entenda o que é e como funciona!

2 de janeiro de 2018 Escrito por Altcoins, Reportagens, Segurança, Tecnologia 0 comentarios em “IOTA: Entenda o que é e como funciona!”
Ebook para iniciantes em Bitcoin

Uma criptomoeda permite que transações seguras sejam feitas sem a necessidade de um mediador. Ou pelo menos, um protocolo neutro age como um mediador para tudo. A maioria das moedas atuais precisam de uma Blockchain para conseguir este balanço. O Iota quer mudar um pouco este paradigma. O time de desenvolvedores acredita que eles encontraram a nova geração de criptomoeda: Uma maneira mais rápida, barata e mais segura de administrar a rede. Os desenvolvedores chamam esta evolução de “Tangle”.

É possível ver a Tangle se desenvolvendo em tempo real.

Cada quadrado transparente representa uma transação. Para que ela seja aprovada, a transação precisa ser verificada por outras duas transações. As linhas verdes representam as verificações.

Portanto, quando alguém quer acrescentar uma transação ao sistema, é necessário escolher outras duas transações aleatórias, checar se a chave dos associados possui um saldo válido e então juntá-las à sua transação junto com um pouco de Proof of Work. Este conjunto é mandado para a rede para ser verificado pela próxima geração de transações.

O Proof of Work protege a rede contra os ataques de Sybil ou spammers. Ambos os ataques requerem que o atacante mande um grande volume de transações. Com o Proof of Work, cada transação sacrifica um pouco de processamento. Isso quer dizer que é muito mais difícil e menos atraente fazer a quantidade de transações necessárias para atrapalhar o sistema.

As criptomoedas que empregam o Proof of Work pesam bastante para os mineradores. Em troca de todo o trabalho duro feito pela máquina, mineradores recebem uma recompensa. Por isso, é importante notar que o Iota incorpora este processo de mineração na própria transação. Este sistema de distribuir o Proof of Work através da rede ajuda a explicar os dois elementos mais interessantes do Iota.

O Iota não requer nenhuma taxa de transação. Isso acontece porque a rede é criada de uma forma que força todo mundo a participar. É necessário contribuir em cada transação. Essencialmente, cada transação ganha o seu espaço ao contribuir com o Proof of Work. O fato de não haver taxas torna o Iota uma opção atraente para o processo de microtransações.

Além disso, o time por trás da moeda afirma que a eficiência da rede aumenta conforme ela aumenta sua escalabilidade. Para ter uma ideia de como a rede funciona, é preciso entender o que acontece quando ela começa a passar a informação de node para node (flooding).

Então, mesmo que a rede seja segmentada de forma aleatória e distribuída através de vários dispositivos, você tem uma situação onde é possível transmitir uma transação rapidamente. Se ela for válida, a rede inteira estará verificando a sua ação.

O Coordenador

Em escala, o Iota promete alguns recursos impressionantes: Transações rápidas, tarifa zero, segurança aumentada e etc. Mas a rede ainda não está operando em alta escala.

Para que a rede se mantenha funcionando durante este período inicial, o Iota depende do que é chamado de “O coordenador”. O Coordenador tem a intenção de proteger a rede enquanto o volume de transações é baixo. O plano é desativar este sistema assim que a rede for grande o suficiente para se manter.

Isto nos leva a um dos principais pontos criticados do Iota. Alguns argumentam que, pelas transações estarem sujeitas ao Coordenador, e os detalhes de como o Coordenador funciona não serem públicos, o atual estado do Iota é, na prática, “centralizado”.

Não podemos acessar o código fonte do Coordenador, então não temos a certeza do que ele faz. Porém, sem ele, aparentemente a rede estará exposta a certas vulnerabilidades. Isso sugere que o Coordenador mantém alguma influencia nos fatores relacionados a estas vulnerabilidades.

De acordo com Sergey Ivancheglo, um dos cofundadores do Iota, o Coordenador está atualmente sendo usado para prevenir um ataque de 34%. O ataque de 34% se refere a uma situação em que o atacante é capaz de contribuir com 1/3 do processamento total da rede, permitindo que ele produza transações conflitantes. Então, o que evita que o Coordenador seja o responsável pelo ataque de 34%?

Apesar do time do Iota não ter motivo algum para sabotar a própria rede, isso não quer dizer que eles não possam encontrar um motivo.

Qualquer usuário pode operar um node completo de forma independente. Ao fazer isso, ele contribui para o poder de processamento da rede para manter a validação no Tangle. Agora, sem recompensas por mineração, não há incentivo econômico em operar um destes nodes.

Mas, um node pode beneficiar um usuário que já esteja processando um grande número de transações, se a pessoa opera um app ou um sistema que se beneficia de uma conexão segura com o Tangle ou a redução em transações, ou simplesmente se ela quiser dar suporte ao ecossistema do Iota.

É importante mencionar que os 34% referenciados no ataque não representam simplesmente 34% da rede. Os dispositivos ligados ao Tangle estão expostos apenas a uma parte da rede completa. Então, mesmo que alguém consiga gerar processamento o suficiente para ganhar controle de 34% da rede, ainda seria necessário encontrar todo o resto dela.

Curl e o Processador JINN

O algoritmo de Proof of Work original do Iota é conhecido como Curl. O Curl emprega uma lógica ternária, o que quer dizer que toda informação é armazenada em três estágios, diferente da tradicional lógica binária. A lógica ternária é proveniente dos primórdios da computação russa. Ela pode oferecer certos tipos de benefícios de performance em relação à lógica tradicional. Porém não é nada fácil encontrar processadores feitos para tirar vantagem deste tipo de lógica.

É aí que o JINN entra. O JINN Labs ainda está “escondido”, mas parece que eles estão trabalhando em um processador ternário feito para ser usado em aplicações na Internet das Coisas. Muitos dos desenvolvedores do Iota estão envolvidos na criação do processador.

Por causa disso, muitos assumem que o processador JINN vai estar preparado para calcular o algoritmo ternário do Iota mais rápido do que processadores tradicionais. O objetivo principal é que os processadores ternários JINN sejam integrados na maioria dos dispositivos ligados à Internet das Coisas, oferecendo para estes dispositivos a habilidade de trocar valores e armazenar Iota.

Porém, o algoritmo Curl e a lógica ternária são a base para outra crítica da plataforma Iota. Este algoritmo foi desenvolvido pelos membros do time Iota. Já que algoritmos de criptografia lidam com informação pessoal, eles geralmente passam por extensos processos de avaliação antes de serem usados no mundo real.

Neha Narula e a sua equipe do MIT diz que a criptografia do Iota ainda não foi propriamente analisada. Narula diz que a sua equipe foi capaz de criar uma colisão com o algoritmo de hash do Iota. Ou seja, eles foram capazes de identificar 2 chaves que apresentavam o mesmo valor. Isso abre oportunidade para que atacantes possam criar transações conflitantes.

Na resposta de Ivancheglo ao relatório de Narula, ele argumenta que as vulnerabilidades foram propositalmente colocadas no código como uma forma de proteção contra plágios (o que aumenta ainda mais as preocupações dos usuários) e que o Coordenador faz com que esses exploits sejam impraticáveis.

Ele também diz que o sistema é peculiar demais e que isso garante a segurança de desenvolver uma criptografia especializada.  Os desenvolvedores também lançaram alguns ajustes na criptografia que anula qualquer risco de segurança que possa ter existido.

Outra justificativa para o uso do Curl é que ele incorpora o sistema de assinatura Winternitz One-time. Teoricamente, a computação quântica não apresenta uma vantagem significante no processamento de Winternitz. Portanto, o Iota deve se mostrar resistente contra os ataques feitos com o avanço deste tipo de computação.

“Flash Channels”

O chamado “Flash Channels” é a mais nova adição ao serviço do Iota. Inspirado por sistemas como o Lightning Network e o Raiden, o Flash Channels permite transações privadas fora da rede. Eles permitem que pessoas confiáveis possam realizar transações de Iota sem passar pelo Tangle.

Se você quer fazer a transação de um alto número de Iota, será necessário esperar cada transação ser processada pelo Tangle. Isso possivelmente criará gargalo na rede. Usando o Flash Channels, várias partes podem depositar quantidades iguais de Iota em uma conta “múltiplas assinaturas”. As partes envolvidas podem transferir o dinheiro independentemente do Tangle principal.

A moeda IOTA

Um número fixo total de 2,779,530,283,277,761 moedas foram criadas no bloco gênesis do Iota. Sem mineradores, o sistema não possui um mecanismo natural para a distribuição dos tokens. Então os Iota são essencialmente distribuídos através de um ICO (Initial Coin Offering, Oferta Inicial de Moeda). Este sistema já garantiu cerca de 585 mil dólares para a fundação Iota, a entidade alemã responsável pela administração e desenvolvimento da rede.

Por haver muito Iota no mercado, o preço da moeda é listado nas exchanges em Miota (1.000.000 de Iotas). O grande número de Iotas disponíveis serve como promoção da moeda como um veículo viável para pequenas transações.

O time

A estrutura básica do Iota foi inicialmente descrita por Serguei Popov, no Iota Whitepaper. Popov é Doutor em ciência da computação com especialização na teoria da probabilidade. Ele se formou em Moscou e atualmente dá aula na UNICAMP.

A implementação do protocolo foi feita por Sergey Ivancheglo e Dominik Schiener. De acordo com uma entrevista dada em um podcast com David Sønstebø, outro fundador do Iota, Sergey é o fundador da Nxt. Ivancheglo lançou o Nxt em 2013 sob o pseudônimo de BCNext. Ivancheglo também já apareceu no mercado com o pseudônimo de “Come-from-Beyond”.

Conclusão

O projeto Iota oferece um monte de recursos para animar seus usuários. Se o time for capaz de entregar pelo menos metade do que eles estão prometendo, o resultado pode ser incrível.

Mas ainda é muito cedo e o Iota ainda é considerado águas não navegadas. Existem projetos que tem o conceito, o capital e as pessoas para convencer que eles são capazes de fazer a proposta funcionar. O Iota é mais um sonho do que uma promessa e é isso que o torna interessante. Apenas o tempo dirá se este é um projeto vencedor.

Gostou desse post? Siga nossas redes sociais:
Conheça o Quantum!
Tags: , ,

Busca

Gostou? Segue aí!

Facebook
Twitter
LinkedIn
Follow by Email
Google+
https://atlasproj.com/blog/iota-entenda-o-que-e-e-como-funciona/">
logo_rodape

ENTRE EM CONTATO

Copyright 2017 Atlas Project. All rights reserved.